A Alma nova e a Alma velha


Quando uma alma nova reconhece uma alma velha é como achar um tesouro.

A alma velha conduz a alma nova baseada nas lembranças de toda uma vida desde há muito vivida. Um tempo em que a vida era mais difícil, mesmo que as estrelas brilhassem tal como ainda brilham hoje.

Tudo ainda era experiência, um tatear pelo desconhecido, tentando acertar o caminho! Atalhos tenebrosos e escuros ou sendas absolutamente deslumbrantes já percorridas!  Novidades ou surpresas arrepiantes, emocionantes, sofridas, vivenciadas!

E a alma nova se deixa embalar por sonhos e fantasias já há muito esquecidas pela velha alma. A alma nova mergulha na vastidão do conhecimento e da experiência encontradas na bagagem da alma velha.

E, de sonhos em sonhos, de fantasias em fantasias, o tempo vai passando e a alma nova se torna antiga, até que, por sua vez, encontra uma outra alma nova!

Mas, a magia e a sabedoria que a alma nova vê, se é real ou não, um dia vai saber, pois a alma nova, sempre se tornará uma velha alma na imensidão eterna do eterno e vasto universo. Mergulhará em Deus e compreenderá finalmente o que é ser Deus.

Amar é cumprir a lei magna do universo, sem segundas intenções e sem esperar retribuição sob qualquer forma.

Advertisements